Entrevista com a arquiteta Beatriz Secco

Autor: Adriana Corrêa - Data: 05/08/2005


A Rede Sarah de Hospitais de Reabilitação* conta, hoje, com uma equipe de profissionais que trabalha continuamente para transformar o ambiente de recuperação e tratamento em um local mais agradável. Essa é a missão da arquiteta e paisagista Beatriz Secco, que a 26 anos trabalha com paisagismo e recuperação ambiental.

Beatriz começou cedo na profissão, antes mesmo de se formar em arquitetura, na rede de Faculdades Integradas Bennet, no Rio de Janeiro. Os estágios foram os responsáveis pelos alicerces e referências profissionais, o início de uma jornada que, ao que tudo indica, está longe de terminar. Para conhecer um pouco mais da sua trajetória, confira a entrevista concedida por Secco à Revista Digital AuE Soluções.

AuE: Por que decidiu ingressar na profissão de paisagista?
Secco: Comecei a trabalhar com paisagismo ainda na faculdade, junto com uma colega de profissão, a paisagista Silvia Linhares. Estagiamos no Jardim Botânico e no escritório de Burle Marx, no Rio de Janeiro, onde trabalhamos com José Tabacow realizando diversas obras em sítios da região de Teresópolis. Depois vim morar em Salvador e comecei a trabalhar com o arquiteto João Filgueiras Lima (Lelé), ficando responsável pelos projetos de paisagismo e implantação de jardins. Atualmente, trabalho para a Rede Sarah de Hospitais do Aparelho Locomotor, onde sou uma das responsáveis pelo paisagismo da organização.


AuE: Na sua opinião, o que é indispensável em um projeto?
Secco: Vejo o projeto de paisagismo como um complemento à arquitetura e urbanização, onde o mais importante é desenvolver uma solução integrada. Isso significa respeitar o movimento do terreno e utilizar materiais e vegetação típicos da região onde será implantada a obra.

AuE: Considera a tecnologia importante para a sua vida profissional? Por quê?
Secco: Com o uso do AutoCAD na execução dos projetos de arquitetura, tornou-se imprescindível o conhecimento de novos programas que otimizem o nosso trabalho. Uso o AutoLANDSCAPE em todos os projetos porque o software aumenta a biblioteca e adapta o sistema de listas de vegetação. Esse recurso possibilita o controle de estoques do viveiro e a transferência de vegetação para outras obras, facilitando a nossa rotina diária.

AuE: Como lida com a moda no paisagismo?
Secco: Existem áreas de trabalho - como feiras, stands e cenários - onde podem ser aplicadas certas fórmulas para projetar com bons resultados, principalmente na ambientação de interiores.

AuE: Qual a contribuição do paisagismo para a qualidade de vida das pessoas?
Secco: Os jardins trazem equilíbrio para a nossa vida. Atualmente, convivemos com o estresse do trânsito, do trabalho e das questões sociais não resolvidas, entre outras problemas. Nesse sentido, as áreas verdes são importantes para o lazer contemplativo, para a prática de esportes, o relaxamento e a convivência social.

AuE: De que maneira as espécies vegetais podem nos trazer ensinamentos?
Secco: Se analisarmos a germinação da semente, o desenvolvimento da muda, o crescimento e o nascimento da flor se transformando em fruto e voltando a ser semente, podemos concluir que em cada semente temos um histórico de vida. Cada semente é um zip.

AuE: Qual o seu último trabalho?
Secco: Um projeto em execução na área de implantação do plano inclinado do Hospital Sarah, em Salvador. E a implantação do projeto de paisagismo do Centro de Reabilitação da Rede Sarah, no Rio de Janeiro. Ambos assinados pelo arquiteto João Filgueiras Lima (Lelé).

AuE: Dentre os seus projetos, qual deles merece destaque?
Secco: O projeto de paisagismo do Centro de Reabilitação da Rede Sarah, na Ilha de Pombeba, em Jacarépaguá, no Rio de Janeiro. A implantação foi concluída no segundo semestre de 2001 e, hoje, acompanhamos a manutenção. O projeto precisou atender as exigências da legislação da Secretaria do Meio Ambiente do Rio de Janeiro, utilizando 75% de vegetação nativa e apenas 25% de vegetação ornamental. Para isso, foi necessário fazer a recuperação do manguezal e manter 50% da área verde como espaço de preservação ambiental.

* Com unidades em Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Salvador, São Luiz e Rio de Janeiro, a Rede Sarah trata pacientes com diversos tipos de lesões no aparelho locomotor. O bem estar é uma das preocupações da organização, que busca amenizar dores e limitações com o paisagismo, proporcionando uma dose extra de conforto e beleza para os seus pacientes.
Confira o último projeto da Arquiteta Paisagista Beatriz Secco


Compartilhar:


Anterior Próximo

Biblioteca gratuita sobre paisagismo.

Comentar
Nome:
E-mail:
Comentário:
Avalie está matéria:



1 - Autor: socorro melo - Data: 01/03/2011 16:27:45

parabéns

O seu trabalho e a sua dedicãção só engrandece o nosso curso de arquitetura e urbanismo da UNP, espero que aqui em Natal, os setores competentes dispertem para tamanha importancia que o paisagismo ocupa na qualidade de vida do cidadão. visto que só aluna concluinte e estou fazendo uma pesquisa sobre os jardins daqui e percebo a falta não só de literatura mais a contemplação de áreas ajardinadas no nosso Estado, não é mesmo uma pena?



2 - Autor: Fernando Vasconcelos - Data: 29/06/2010 23:38:33

Sou aluno do 9º período do Curso de Arquitetura e Urbanismo da UnP-Universidade Potiguar, em Natal/RN.

Participei de uma palestra e em algumas matérias onde conheci um pouco da história de Burle Marx, então, me tranquilezei ao saber de Prfissionais que o não só participaram do seu trabalho, mas darão continuidade da difusão do mesmo de quão a importância do paisagismo para complementação dos projetos arquitetônicos.



3 - Autor: wilson felix de oliveira - Data: 17/11/2009

valeu beatris pela sua materia sou enpreitero pai de 6 filhos trabalho a 30 anos na construçao civil se precisar de bons proficionais entre em contato com wilson meu telefone 5625-3092 ou 8101-6727



4 - Autor: Cinthya - Data: 16/02/2008

Fiquei encantada com a entrevista da paisagista Beatriz Secco talvez porquê tenho muita identificação com sua história.Estou no último período de Engenharia agronômica e trabalho com paisagismo desde o quarto período, no entanto, mesmo morando no Rio de Janeiro que é um dos grandes pólos paisagísticos do Brasil, encontro grandes dificuldades de estagiar e ter algum reconhecimento na área que, na minha opinião, é uma das mais bonitas do meu curso.Caso tenham alguma sugestão por favor entrem em contato.Obrigada.




Entrevista
Dicas Técnicas
Novidades
CD-Rom produzido pela AuE é distribuído em todo Brasil
CD-Rom produzido pela AuE é distribuído em todo Brasil

Veja o CD-ROM sobre o III Seminário Internacional de Paisagismo - Design e Natureza. Promovido pelo Senac-SP.

Carta dos leitores
Arquivo
Edição Anterior

Revista AuE Paisagismo Ano 2 No 14 / Julho de 2005

Conteúdo completo

Lista com todas as Edições da Revista Paisagismo Digit@l

Top 10

Matérias mais comentadas da revista

Projetos
Lista de Projetos

Lista com Todos os Projetos da Revista Paisagismo Digit@l

Top 10 de Projetos

Lista com 10 projetos mais comentados

Agenda
Agenda

Agenda de Eventos de Paisagismo

Conversar no Whatsapp

X

Revista gratuita AuE Paisagismo


Que tal se manter sempre informado das novidades do mundo do paisagismo? Informe seus dados para mantermos contato!




Revista no seu E-mail

*
*
*