André Watanabe fala sobre paisagismo oriental

Autor: Anita Cid - Data: 03/09/2008

André Aoki Watanabe, filho de Sacae Watanabe e Darci Satsuki Aoki Watanabe, nasceu em 24 de maio de 1979, em Botucatu, Estado de São Paulo. É Engenheiro Agronômo (Unesp-Botucatu) e atualmente cursa Arquitetura e Urbanismo no Campus da Unip de Bauru, com formatura até o final de 2008. É especialista em Plantas Ornamentais e Paisagismo na Universidade Federal de Lavras, com enfoque em jardim japonês e mestre em Botânica pela Unesp, com concentração na área de fisiologia vegetal.
No ano de 2008, prestou prova de certificação da International Society of Arboriculture , sendo que é um dos únicos arboristas certificados por esta instituição no Brasil. É sócio proprietário da Agroarte, empresa voltada à ecologia, meio ambiente, educação ambiental, planejamento, execução e manutenção de projetos de paisagismo.

AuE Soluções: Como você se tornou paisagista?

Watanabe: Posso dizer que paisagismo já esta no sangue da minha família há muito tempo. Meu avô paterno, que não tive a oportunidade de conhecer pessoalmente, deixou inúmeras variedades de orquídeas e bonsais além de muitas outras espécies. Já meu pai, atua como paisagista há mais de 40 anos e eu, como não poderia ser diferente, tomei gosto logo cedo pela profissão, quando ia passar as férias em meus viveiros de mudas desde criança.

AuE Soluções: Sua família é de descendência japonesa. Conte-nos um pouco da sua história familiar.

Watanabe: Meus avós vieram do Japão em 1933 e logo adquiriram um imóvel rural no município de Penapolis. Era só mata e eles tiveram que desmatar para cultivar a terra. Junto com a lavoura, meu avô cultivava plantas ornamentais e, o que era hobby para ele, virou profissão para meu pai que fez agronomia e pós-graduação voltada para floricultura, paisagismo e ecologia. Ele também estagiou e trabalhou com o Roberto Burle Marx, maior paisagista brasileiro, e em 1977 abriu a Agroarte Paisagismo que atua em todo o território nacional. Como fui criado muito próximo do trabalho do meu pai, acabei entendendo e me apaixonando cada vez mais pelo meio ambiente e seus efeitos que é o paisagismo ideal.

"O jardim japonês é a representação da natureza em escala menor. Neste objetiva-se um equilíbrio total de todos os elementos para transmitir sensação de quietude e repouso. Todo o supérfluo deve ser cortado e o projeto só estará pronto quando nada mais possa ser removido dele."


AuE Soluções: Você e sua família visitam o Japão para se reciclarem profissionalmente?

Watanabe: Toda minha família já esteve no Japão, apesar de ter como foco principal conhecer a cultura de nossos antepassados, estamos sempre observando as formas e conceitos aplicados nos jardins de lá. Atualmente muitas informações necessárias para a elaboração de um bom paisagismo, seja ela uma novidade ou um antigo conceito, está disponível na internet, não somente dos jardins orientais.

AuE Soluções: Como esta descendência influi no seu trabalho de paisagista?

Watanabe: Acho que a maior influência dos jardins orientais é a utilização de plantas perenes em nossos projetos, o que baixa bastante o custo de manutenção e deixa o jardim permanentemente bonito. A utilização de espécies anuais, além de ter um custo elevado de manutenção exige trocas constantes de espécies, o que em um jardim doméstico, raramente acontece. Com isso, o cliente tem o jardim bonito por três ou quatro meses e faz a troca uma ou duas vezes e depois desanima e cimenta toda a área verde da casa.

AuE Soluções: Quais são as principais características de um jardim oriental?

Watanabe: O jardim japonês é a representação da natureza em escala menor, não que seja uma imitação da natureza e sim uma representação e simbolização da natureza pelo uso de pedras, água, lanternas, pontes, lagos, cada elemento com uma simbologia diferente, conforme a experiência, sentimento e padrões do projetista. Os fatores a serem considerados quando se esta projetando um jardim japonês são localização, tamanho, forma, função, estilo de composição, uso do espaço e materiais, cada um deles faz parte da linguagem do paisagismo e nenhum pode ser estudado separadamente. No jardim japonês objetiva-se um equilíbrio total de todos os elementos para transmitir sensação de quietude e repouso, diz-se ainda que todo o supérfluo deve ser cortado e o projeto só estará pronto quando nada mais possa ser removido dele. Não pode apresentar um ponto de vista apenas, mas muitos pontos, cada um com uma interpretação diferente. O jardim ideal se assemelha a um álbum de fotos onde cada página virada apresenta uma surpresa.

AuE Soluções: Quais são as principais espécies que você utiliza em seus jardins? Estas são fácies de serem adquiridas?

Watanabe: Escolho as plantas a serem utilizadas respeitando as características fisiológicas de cada espécie e mantendo a harmonia do conjunto, não temos espécies preferidas para nossos projetos e sim, procuramos a espécie ideal para cada caso, logo, nem sempre temos todas as espécies em nossos viveiros e precisamos recorrer a outros viveiristas.

"a forma correta de se iniciar um projeto de paisagismo é através de uma entrevista com os proprietários da casa para saber o perfil deles como o gosto, os desejos e as necessidades de cada um, para assim, entregar a eles o jardim de seus sonhos."


AuE Soluções: Jardins orientais exigem algum cuidado especial? Quais?

Watanabe: Como qualquer jardim, o jardim oriental requer de cuidados básicos como a limpeza das folhas e galhos secos, regas, podas, adubações, controle de pragas e doenças, etc. O grande diferencial está na forma como ele é percebido, por exemplo, aqui comumente vejo pessoas reclamando das flores do ipê que "sujam" a calçada. Já no jardim oriental ele estaria enfeitando a calçada que também faz parte da paisagem.

AuE Soluções: Como você cria jardins personalizados que refletem o gosto de seus clientes?

Watanabe: Todo paisagista deve pensar na forma como o jardim será utilizado, quem irá utilizá-lo, se o proprietário gosta de cuidar das plantas, se tem tempo disponível, se tem filhos pequenos, etc. Logo, a forma correta de se iniciar um projeto de paisagismo é através de uma entrevista com os proprietários da casa para saber o perfil deles como o gosto, os desejos e as necessidades de cada um, para assim, entregar a eles o jardim de seus sonhos.

AuE Soluções: Na sua opinião, os jardins orientais tem boa aceitação aqui no Brasil?

Watanabe: Jardins orientais têm uma base filosófica muito grande por trás de cada elemento, escolhido a dedo para compor a paisagem do local. Logo, é um jardim bastante contemplativo, onde você olha, observa, compreende o intuito do criador em cada elemento. Vou citar um exemplo, através de uma pequena história que coloquei em minha monografia de pós-graduação.

É cedo. O homem acorda e veste um terno azul. Ele está sentando agora quietamente enquanto toma um gole em uma xícara de chá, olhares fixos na paisagem. Uma cadeia de montanhas sobe no oeste; está perto o suficiente pra ele poder ouvir a cachoeira que a encosta esconde. Um córrego de água apressa à planície e alimenta um lago que se alarga aos seus pés. Do lado oposto às montanhas o homem localiza uma densa floresta, ele quase pode ouvir os ventos que há anos sopram aquela mata. Ali ele se nutriu de boas energias, ao observar aquela cena, com as folhas da vegetação delicadamente balançando sob influência da leve brisa. Mas agora não há mais tempo. O homem apanha a pasta, fala para a esposa que voltará mais tarde, e, uma vez fora do portão, entra decididamente na linha das pessoas que já se apressam à estação de trem.
A paisagem que o homem estava olhando não era uma paisagem real, mas um jardim japonês de alguns metros quadrado. Ele se construiu para isto.
A "montanha" era uma pedra grande que ele trouxe de caminhão. A "cachoeira" e o "fluxo" eram pedras menores e seixos organizados em rachas e fileiras. O "mar" era de pedregulho branco, e as árvores "varridas pelo vento" eram algumas plantas escolhidas a dedo, não só cada espécie, mas o formato, o tamanho, a idade de cada indivíduo. Ele segue este ritual todas as manhãs, vivendo o pequeno jardim como uma grande paisagem viva, vasta e serena.


Veja as fotos do projeto da praça "Brasil Japão", que faz parte do projeto "A Praça é Nossa", no qual a Agroarte em parceria com outras empresas privadas revitalizavam as praças e canteiros da cidade de Botucatu.





Compartilhar:


Anterior Próximo

Biblioteca gratuita sobre paisagismo.

Comentar
Nome:
E-mail:
Comentário:
Avalie está matéria:



1 - Autor: DH - Data: 15/02/2012 10:39:29

Oi Andre, Tenho planos de fazer o jardim de minha casa com conceito oriental mas durante o amadurecimento da ideai li uma entrevista na qual foi dito que não de deve " copiar " um jardim japonês que se perde a alma e estaria fora do contexto e da época. Qual sua opinião ?



2 - Autor: eliza watanabe azevedo - Data: 13/10/2011 10:39:30

Parabéns André!Te conheci muito pequeno, fiquei muito emocionada qdo vi sua matéria.Também tenho paixão por ikebana, estou no Japão, país onde esta linda arte nasceu!Meu sonho ainda é voltar ao Brasil e retomar o que tenho paixão!Flores!!!
Ah, sou prima de seu pai Sakae, que morava em Birigui.
Que Deus esteja sempre te iluminando e dando muitas inspirações!



3 - Autor: Elizardo Ferreira Martins - Data: 07/09/2010 15:31:35

É muito bom ler matérias do nosso interesse, e o melhor é o conteúdo profissional que tem conhecimento. Muito bom....abraço!!



4 - Autor: ismar dos reis vieira - Data: 26/06/2009

acho lindo os jardins orientais



5 - Autor: Cassia - Data: 18/05/2009

Olá...Excelente matéria,adorei...Parabéns!
Estou pesquisando como fazer um jardim em estilo japonês, meu espaço é bem pequeno, mais ou menos 1 metro de largura por uns 3 de comprimento, como eu adoro esses estilos japoneses, gostaria que ajudassem com umas dicas de como poderia fazer meu jardim, quais plantas usar. Tenho tantas idéias, que já estou perdida...gostaria de ver mais fotos....Desde já ficarei grata....



AuE Reponde:Por favor, entre em contato com o paisagista através do email agoarte@agroarte.com.br



6 - Autor: ismar dos reis vieira - Data: 28/12/2008

lindos suas fotos , pretendo montar uma floricultura e estou pegando conhecimento



7 - Autor: cida bessa - Data: 28/09/2008

Adorei esta matéria.
estas informações são maravilhosas para nós que trabalhamos com paisagismo.



8 - Autor: Vanice de Jesús Klein - Data: 13/09/2008

A beleza realmente começa dentro do homem.Parabéns ao entrevistado.



9 - Autor: Marcia - Data: 10/09/2008

Ótima reportagem André, uma delícia lê-la!



10 - Autor: Milena Picka - Data: 07/09/2008

Que orgulho do meu cunhado!
Continue sempre assim: fazendo sucesso!!!
Bjs,
Mi



11 - Autor: Kelly Magalhães - Data: 05/09/2008

Excelente a entrevista com o Paisagista André Watanabe. Parabéns à revista e parabéns ao Nadré



12 - Autor: cristiane - Data: 03/09/2008

Querido Andre,
Parabens pela materia! Eu sempre tive interesse em jardim japones e estudei um pouco sobre a filosofia zen budista. Acho valido reforcar a ideia oriental do homem que convive em harmonia com a natureza em vez de geralmente acharmos que podemos controla-la. Para mim esta eh a maior lição da filosofia oriental! Um forte abraco e sucesso!



13 - Autor: Peter Caton - Data: 03/09/2008

Good article, I am most impressed! It is a great responsibility on the hands of men like you to make better environments in our towns and cities. Success and all the best,
Peter Caton



14 - Autor: Anderson - Data: 03/09/2008

Esse japones é demais....uma vez fui para Botucatu e vi essa praça Brasil Japão.....fiquei encantado com a paisagem, com as plantas utilizadas, enfim é uma praça encantadora. Parabéns pela "idéia" ou inspiração a que te levou desenvolver essa praça. Valeu cara!



15 - Autor: Carina - Data: 03/09/2008

Adorei essa reportagem!
Me incentivou mais ainda a me especializar em paisagismo. Parabéns!



16 - Autor: matheus carlos - Data: 03/09/2008

Aoki, parabéns pelo seu talento...queria poder ter umas aulas com vc, aprender um pouco mais com quem tem um talento muito original, difernte, sei lá, resumindo espetacular!
Abraços,
matheus



17 - Autor: Rodrigo - Data: 02/09/2008

Otima matéria !!! Um grande abraço André...



18 - Autor: reis idevanir - Data: 02/09/2008

Ola!!!
Aoki, Parabens ótima materia .Aproveitando a oportunidade gostaria de saber mais as espécies utilizadas e os viveiros que possamos fazer contato Ok... Abraços ,Idevanir
___________________________
AuE Responde:Uma boa dica é consultar o site www.paisagismodigital.com.br



19 - Autor: Angela - Data: 02/09/2008

Parabéns pela matéria Aoki!



20 - Autor: Mariele - Data: 02/09/2008

Melhor que ler uma matéria sua é acompanhar de perto suas obras e seu talento. Parabéns pelo Sucesso!
Você brilha a cada dia!



21 - Autor: Marllen - Data: 02/09/2008

mas esse meu amigo é muito talentoso!!! André Parabéns!!!!muito sucesso viu!



22 - Autor: Lucas - Data: 02/09/2008

Parabéns André. Vc como sempre, surpreendendo!! Show de bola!!!



23 - Autor: Pedro - Data: 02/09/2008

Ótima matéria! Me ajudou muito pois estou começando a trabalhar com paisagismo. Inspirador!



24 - Autor: andréa - Data: 31/08/2008

me encanta os jardins japoneses....foi meu primeiro trabalho como paisagista e ainda hoje me emocionam...




Conversar no Whatsapp +55 (32) 9 9138-8279

X

Revista gratuita AuE Paisagismo


Que tal se manter sempre informado das novidades do mundo do paisagismo? Informe seus dados para mantermos contato!




Revista no seu E-mail

*
*
*