Parques públicos em terreno privado de condomínios são nova tendência no paisagismo

Autor: Anita Cid - Data: 01/08/2009

O ritmo acelerado e a falta de segurança típicos da vida moderna, fez com que as pessoas deixassem de frenquentar parques e praças. Foi-se o tempo que estes espaços com lindos jardins floridos eram locais para encontros casuais entre amigos, jogos de mesa e pontos de paquera. Nas últimas décadas, perderam lugar para os shoppings centers, que são protegidos e cobertos e dispõem de estacionamento, ar condicionado e diversas áreas de estar e plays para reunir crianças, adolescentes e adultos. Além disso, a falta de espaço nas grandes metrópoles torna as áreas verdes cada vez mais escassas. Diante desse cenário, um conceito inédito está aparecendo no Brasil: os parques públicos em terrenos privados.

A novidade já pode ser conferida em condomínios como o Paulistânia Bosque Residencial, localizado no bairro do Brooklin, em São Paulo. O terreno do empreendimento compreende uma área de mata, cujo desafio foi preservá-la e, ao mesmo tempo, dar um uso à população do entorno. Uma incorporadora, em acordo firmado com a prefeitura, disponibilizou 7.600 m² de bosque ao município para uso público.

A área verde foi revitalizada, permitindo à comunidade desfrutar de um espaço de lazer equipado com áreas de estar, brinquedos para crianças de várias idades, pista de cooper e área gramada. A revitalização do bosque conta ainda com um extenso e cuidadoso projeto paisagístico de adensamento de mata nativa. Novas espécies, principalmente floríferas, foram agregadas à natureza local e trouxeram cores ao espaço. Por estar em um terreno privado do condomínio, essa praça é também sinônimo de segurança e preservação.

"A idéia é levar esse novo tipo de praça privada e aberta para mais locais na cidade, transferindo novamente para o ar livre e para a natureza o local principal de convívio e lazer de quem mora em São Paulo", ressalta o arquiteto paisagista Benedito Abbud, responsável pelo paisagismo do empreendimento.

Novas praças paulistanas

O resgate das antigas praças urbanas, por meio desse novo conceito de espaço privado para uso público, pode ser visto também em outros dois projetos em São Paulo, desenvolvidos por Abbud, em parceria com os arquitetos Jorge Konigsberger e Gianfranco Vanucchi.

Um desses projetos está instalado no bairro de Moema e recebe o nome de Praça Times Square. Desenvolvido com o objetivo de homenagear o tempo, o empreendimento possui, logo em sua entrada, duas esculturas representando o sol e a lua. Embora seja um espaço externo, a Times Square de São Paulo dispõe da total segurança dos quatro edifícios que a compõem. A praça conta ainda com áreas de estar e uma vegetação que marca o passar do tempo, como as quaresmeiras, que florescem duas vezes por ano, e uma série de arbustos, cujas flores brotam em diferentes épocas.

paisagismo do condomínio Brascan Century Plaza



Outro espaço com esse novo conceito é a Praça Brascan Century Plaza, localizada no bairro do Itaim Bibi, no cruzamento das ruas Bandeira Paulista e Joaquim Floriano. O local, onde antes existia uma fábrica de chocolate, passou a ser um centro de recreação e lazer de toda a região. Hoje está instalado um complexo com edifício comercial, hotel, flat, cinema, praça de alimentação, além de uma praça central ao ar livre.

A Praça Brascan Century Plaza é freqüentada por diferentes perfis de usuários ao longo do dia. De manhã, podem ser vistas babás com carrinhos de bebês, aproveitando o sol matinal. No meio do dia, há muita gente almoçando e saindo do ambiente fechado do escritório para desfrutar da sensação agradável do espaço aberto. Já no final da tarde, é o momento do happy hour, enquanto à noite o local é ocupado por aqueles que vão jantar.

paisagismo do condomínio Brascan Century Plaza



A área abriga ainda uma centena de árvores, entre elas o pau-brasil, a sibipiruna e o pau-ferro, plantados para comemorar os 100 anos de atuação da empresa Brascan no Brasil. A água como ponto alto de atração, os arbustos baixos para liberar a visão de todo o espaço e as esculturas em toras de madeira completam o paisagismo desse emblemático projeto que mudou a vida do bairro.

Projetos paisagísticos como estes reavivam o conceito das praças abertas, trazendo de volta espaços de tranquilidade e área verde aos agitados bairros de grandes metrópoles, como São Paulo.


Compartilhar:



O guia traz diversas dicas para profissionais que desejam se destacar no mercado de paisagismo

Comentar
Nome:
E-mail:
Comentário:
Avalie está matéria:



---
Conversar no Whatsapp

X

Revista gratuita AuE Paisagismo


Que tal se manter sempre informado das novidades do mundo do paisagismo? Informe seus dados para mantermos contato!




Revista no seu E-mail

*
*
*