Arquitecta Paisagista Fernanda Rita e o paisagismo de Vilamoura

Autor: Fernanda Maria Rodrigues Rita - Data: 06/02/2013

AuE Paisagismo: Faça uma apresentação pessoal e de sua empresa. Gostaríamos de conhecê-la melhor

Fernanda Rita: Eu sou licenciada em Eng. Agronomica - Ramo Hortofruticola (1997) e em Arquitetura Paisagista pela Universidade do Algarve (2007). Atualmente trabalho na empresa INFRAMOURA em Vilamoura (Algarve - Portugal).
Neste momento a minha atividade profissional cinge-se a projetar o espaço público de Vilamoura (Vilamoura é a primeira grande área residencial e turística totalmente certificada, recebeu uma certificação em Qualidade e Ambiente e é a primeira cidade resort da Europa), a reaqualificar o espaço já existente, e a gerir um viveiro, que fornece as plantas para o espaço por nós gerido.


AuE Paisagismo: Como foi a sua escolha desta profissão de agrônomo paisagista? Quais as dificuldades que encontra e quais a maiores alegrias?

Fernanda Rita: O meu percurso acadêmico começou pela licenciatura em Agronomia, e depois devido à paixão já existente pelo paisagismo, e também pela necessidade de maior conhecimento na área do paisagismo, tirei o curso de Arquitetura Paisagista.


Projeto da 2ªfase da Baixa de Vilamoura - Av. Tivoli (fase final da execução Maio/2012)

As maiores dificuldades da profissão de paisagista prendem-se com a falta de reconhecimento por parte da sociedade, da necessidade de um paisagista. Até há pouco tempo, em Portugal, não era exigido pelas Câmaras Municipais projetos de paisagismo, assinados por Arquitetos Paisagistas (AP), qualquer técnico na área da construção civil e da agronomia podia fazer projetos de paisagismo.

Um dos grandes problemas que Portugal tem, é a falta de Ordenamento do território, problema que podia ser resolvido com uma maior intervenção dos Aps, pois temos uma grande formação nessa área.

As maiores alegrias que tenho como AP é ver o meu projeto ser executado e ver o crescimento das diferentes espécies vegetais darem forma e volume ao espaço, com o passar do tempo.

AuE Paisagismo: Costuma frequentar Congressos e Eventos de Paisagismo?

Fernanda Rita: Sempre que é possível frequento congressos, cursos e outros eventos, pois contribuem para a nossa valorização pessoal/profissional e abrem-nos os horizontes a novas ideias e a novos contatos.

AuE Paisagismo: Como fazer para integrar o gosto do cliente, com a obra arquitetônica e a seleção adequada de espécies botânicas em um projeto paisagístico?

Fernanda Rita: Quando se trabalha para o espaço público é diferente de quando se trabalha para o privado, quando desenho, dado que os meus projectos são para o espaço público, tenho de ter em conta os custos, e a melhor forma de transformar o espaço em algo agradável para o cidadão que usufrui do espaço.


Projecto das Quintinhas - realizado em 2010

Antes de iniciar o trabalho passo várias vezes pelo lugar, onde vai ser implantado o projeto e tento ver-me como uma utente do espaço, ou seja tento ver o outro lado, e imagino o que gostaria de ver, de sentir ao passar por aquele espaço. Depois de sentir o espaço, desenho duas ou mais opções (anteprojeto), até encontrar a solução que vá ao encontro do lugar, por norma a solução encontrada é a que reune consenso de um conjunto de pessoas.

Quando se trabalha para o privado temos todas essas sensações, do que se quer do espaço, são dadas pelo cliente, depois é só integrar na minha concepção do espaço o desejo do cliente. Tal como faço para o espaço público, proponho mais do que uma solução para a zona de intervenção, a diferença é que quem faz a escolha é o cliente.

No que diz respeito à escolha das espécies botânicas,

no caso público, escolhem-se as plantas que melhor se adequam ao espaço, e as que melhor transmitem as sensações, que pretendo para o local, dou alguma preferência às autóctones.
Nos projectos para privados, tento conjugar o que considero mais adequado para o lugar a intervir, e as preferências do cliente.


Projecto Rua do México (Vilamoura) - Este projeto enquadra-se com a plataforma das bicicletas de uso partilhado de Vilamoura (Vilamoura Public Bikes).

AuE Paisagismo: Como você faz a seleção das espécies botânicas? Você leva em consideração a frequência de manutenção no processo de escolha?

Fernanda Rita: A minha selecção das espécies prende-se com a rusticidade das plantas, a textura, a cor da folha e só depois a flor, pois a maior parte do tempo temos só folha (na maioria das plantas), na necessidade hídrica das mesmas e na forma como poderei integrar inertes, de maneira harmoniosa, sem agredir o conforto visual.


Projeto das Quintinhas - realizado em 2010

Na selecção das espécies arbóreas tento escolher as espécies de acordo com o espaço, ou seja, verifico o espaço que tenho para o desenvolvimento das raízes, a cor da folhagem e o tipo de folhagem, o sombreamento que pretendo e o crescimento. Não sou adepta da utilização de palmeiras, só em situações muito específicas, por exemplo em requalificação, quando já existem alguns elementos.

A escolha das espécies tem de ter sempre em conta a manutenção, pois se temos um grande espaço, não é possível dar a mesma atenção de quando temos um pequeno espaço, como tal temos que ter plantas mais rústicas em grandes espaços e em pequenos espaços temos a hípotese da escolha, depende do cliente.

AuE Paisagismo: Como o paisagismo pode contribuir na qualidade de vida da população?

Fernanda Rita: A qualidade de vida da população depende do espaço que nós paisagistas lhe proporcionamos, ou seja se criarmos espaços agradáveis, iremos fazer com que a população se sinta atraída pelo espaço e o usufrua contribuindo deste modo para o seu bem-estar.

AuE Paisagismo: Qual a sua opinião sobre o papel do paisagismo em um empreendimento imobiliário?

Fernanda Rita: O paisagista contribui para a valorização monetária do empreendimento e para que o impacto produzido no ambiente seja menor.

AuE Paisagismo: Frente às diversas catástrofes naturais que estamos vivenciando, tais como enchentes, vulcões, terremotos, entre outras, as profissões que lidam diretamente com o meio ambiente ganham especial destaque. Qual é o papel do paisagismo neste cenário?

Fernanda Rita: O ordenamento do território é uma das áreas em que o paisagista deveria desempenhar melhor o seu papel,

pois é-nos dado no nosso percurso universitário ferramentas que contribuem para que nós tenhamos uma visão 360º e, como tal, as nossas decisões sobre uma determinada área geográfica deveriam ser tidas em conta para um melhor ordenamento.


AuE Paisagismo: Dentre os projetos que você realizou, qual deles você destacaria? Conte-nos um pouco sobre este projeto.

Fernanda Rita: Entre os vários projetos que já realizei destaco um, que realizei para uma zona que dá acesso a um colégio. Este trabalho foi importante para mim porque marcou o início dos meus trabalhos em Vilamoura, como paisagista.

O meu estilo, que se revelou na conjuntura de materiais e plantas, e que posteriormente vim a adotar, foi definido aqui. Este projeto prima pelo aproveitamento das espécies arbóreas existentes, todas as formas do projeto adaptaram-se a estas espécies, dando-lhe vida e dignidade.

Projeto:



http://www.inframoura.pt/
http://www.rhynchophorus.net/
contato: f.rpaisagismosapo.pt


Compartilhar:


Anterior Próximo

eBook: Planta baixa técnica x Planta humanizada em paisagismo

Comente esta matéria:
Nome:
E-mail:
3 + 6 = ?
Digite o seu comentário sobre a matéria:
Qual a sua avaliação sobre esta matéria ?



1 - Autor: sandra beatriz - Data: 23/02/2013 06:07:28

Com grande satisfação vejo que a minha colega e amiga Fernanda se destacou em uma área tão ingrata. Os meus parabéns pelo excelente trabalho realizado em toda a baixa de Vilamoura, sempre que lá vou, estaciono o carro e faço a pé todo o percurso, sabe bem. Um grande beijo e sucesso. que é de facto de autora



2 - Autor: Mário Pinto Furtado - Data: 21/02/2013 20:18:54

Acho uma área interessanta para o nosso tempo porque a natureza é uma arquitetura perfeita. A população e as cidades estão crescendo limitando espaços pelo uso do concreto armado. Devemos buscar uma interação harmonica onde as pessoas tenha oportunidade de parar e buscar equilíbrio na contemplação com a natureza. Para termos saúde é necessário diminuir os efeitos da poluição e do estress criando ambientes que tenha plantas e flores.



3 - Autor: Altina Dupin da Cunha Mello - Data: 19/02/2013 23:27:21

Agente aprende com ideias alheias.



4 - Autor: Clara Iacoviello - Data: 19/02/2013 15:23:12

Estimada Fernanda! Muy buena nota. Buen criterio a la hora de diseñar y, por sobre todo, la contemplación sobre la necesidad de intervención de un profesional del paisaje tanto en el área pública como privada. En mi país (Argentina) estamos aún muy lejos de que haya un reconocimiento a la necesidad de nuestra intervención, a pesar de tomar notoriedad la profesión por la gran cantidad de barrios privados. Por ejemplo, aún para estos casos sigue siendo poca la participación, pues al no exigirse desde los municipios, al Arquitecto que intervine en el proyecto constructivo, asignan también el proyecto y proceso paisajístico. Y en regla general para todos los espacios verdes urbanísticos, donde deben intervenir en el proceso muchos factores y no sólo el incluir vegetación. Sería muy bueno que se tomara conciencia que una profesión no puede o debe quitar la otra, cada una en su formación académica recibió información específica y necesaria para un correcto y sustentable desarrollo. Saludos y felicitaciones por tus logros. Lic. Clara Iacoviello Estudio de Paisajismo & Interiorismo www.claraiacoviello.com.ar




Entrevista
Arquitecta Paisagista Fernanda Rita e o  paisagismo de Vilamoura
Arquitecta Paisagista Fernanda Rita e o paisagismo de Vilamoura

Projecto de paisagismo de Vilamoura, primeira cidade resort da Europa

Botânica
Ir ao encontro com a natureza
Ir ao encontro com a natureza

Conheça importantes pontos verdes em centros urbanos que levam ao encontro com a natureza.

Dicas Técnicas
AutoLANDSCAPE: Como criar tabelas
AutoLANDSCAPE: Como criar tabelas

Veja como é fácil criar uma nova tabela no novo AutoLANDSCAPE

PhotoLANDSCAPE: Alternar entre os mapas do mesmo item
PhotoLANDSCAPE: Alternar entre os mapas do mesmo item

Como utilizar todos os mapas dos itens existentes no banco de dados do PhotoLANDSCAPE

HydroLANDSCAPE: Organização das matérias

Confira uma coleção de matérias sobre o HydroLANDSCAPE e deixe seus projetos de irrigação ainda melhores

Ecologia
Água  - Bem Universal
Água - Bem Universal

A água no séc. XXI vai ser um fenómeno de conflitos económicos e políticos;

Novidades
Agora você pode testar os softwares da AuE Soluções antes de comprar. Veja como...
Agora você pode testar os softwares da AuE Soluções antes de comprar. Veja como...

Agora você poderá testar os softwares da AuE Soluções antes de comprar. Agende já sua demonstração.

Notícias
Monitoramento das condições das plantas
Monitoramento das condições das plantas

Conheça o aparelho que monitora as condições de suas plantas

Apoio aos povos da Amazônia
Apoio aos povos da Amazônia

Governo lança editais para Planos de Ação Sustentáveis para comunidades que vivem em unidades de conservação

Mais uma boa notícia: Xavantes recuperam suas terras
Mais uma boa notícia: Xavantes recuperam suas terras

Por decisão da Justiça, os xavantes de Mato Grosso vão recuperar suas terras invadidas

Acordo em  Genebra sobre o uso do mercúrio
Acordo em Genebra sobre o uso do mercúrio

Convenção sobre o mercúrio é adotada em Genebra por 140 países

Arquivo
Edição Anterior

Revista AuE Paisagismo Ano 9 No 104 / Janeiro de 2013

Conteúdo completo

Lista com todas as Edições da Revista Paisagismo Digit@l

Top 10

Matérias mais comentadas da revista

Projetos
Lista de Projetos

Lista com Todos os Projetos da Revista Paisagismo Digit@l

Top 10 de Projetos

Lista com 10 projetos mais comentados

Agenda
Conversar no Whatsapp +55(32)3217-1045

X

AuE Paisagismo


Que tal se manter sempre informado das novidades do mundo do paisagismo? Informe seus dados para mantermos contato!




Revista no seu E-mail

*
*
*